Educomunicação

Num processo real de democratização das mídias e meios de comunicação, todas as pessoas precisarão saber como são feitos os produtos audiovisuais que consumimos todos os dias. Partindo desse ponto, permitiremos que todas e todos relatem as suas próprias histórias, e entendam como e porquê são feitas as que consumimos todos os dias na televisão, internet e cinema.

Sendo a criatividade inerente a todo ser humano, considerando que ela se manifesta de muitas maneiras e que há uma inseparabilidade entre arte e vida, podemos esperar das pessoas mais comuns, de variadas idades e origens, que ao se apropriarem dos espaços, técnicas e motivações de artistas, passem a protagonizar criações artísticas.

Se interessou? Clique no botões abaixo para conferir as atividades e materiais da COMUNAVE, relacionados à Educomunicação:

A Educomunicação tem como objetivo estudar os sistemas de comunicação, criar e fortalecer ecossistemas comunicativos e melhorar o coeficiente expressivo e comunicativo.

“o conjunto das ações voltadas ao planejamento e implementação de práticas destinadas a criar e desenvolver ecossistemas comunicativos abertos e criativos em espaços educativos, garantindo, desta forma, crescentes possibilidades de expressão a todos os membros das comunidades educativas” [Prof. Dr. Ismar Soares – NCE/USP]

Em Santa Catarina, programas como o Educom.Cine realizado pelo Laboratório de Educação, Linguagem e Arte (CEAD/Udesc) são exemplo de como é possível aplicar os conceitos da educomunicação na educação e nas artes. Assim, almeja-se que a Educomunicação possa também virar uma política pública de audiovisual comunitário como ferramenta  de inclusão e de alfabetização para a comunicação em Santa Catarina e no Brasil

A COMUNAVE desenvolve e executa oficinas fundamentadas no campo da educomunicação com diversas temáticas, como Vídeo, Animação, Videoclipes, com uma perspectiva de alfabetização audiovisual e apropriação das tecnologias pelas pessoas participantes. São oportunidades para pessoas escreverem sua própria realidade, sendo criadoras de conteúdo, saindo da posição de espectadora, para a de crítica e artista.

Referências
SOARES, I. DE O. Educomunicação – o conceito, o profissional, a aplicação. São Paulo: Paulinas, 2011.